12 de Junho – Namore com Respeito

Como em todos os anos, o Dia dos Namorados, comemorado dia 12 de junho, nos faz reviver e relembrar os bons momentos, experiências e relacionamentos. Diferentes formas de declarações de amor, afeto e carinho circundam a semana dos apaixonados. Em um mês com tanto significado afetivo, inúmeras reflexões sobre o respeito entre os pares se fazem necessárias.

Durante o mês de junho, o Elos da Saúde, divulgou em suas redes sociais a campanha “12 de Junho – Namore com Respeito”. Todas as peças, em formato de conversas por aplicativo de mensagens instantâneas, mostram violências que acontecem com maior frequência do que imaginamos. Controlar, humilhar, obrigar e proibir são atitudes cotidianas sofridas por muitos homens e mulheres, de todas as idades e classes sociais, no dia a dia, em silêncio.

Os relacionamentos abusivos são um grave problema de saúde pública, pela sua alta incidência e por suas consequências físicas e psicológicas nas pessoas que sofrem com a violência. Segundo o Instituto Maria da Penha, a cada 7,2 segundos uma mulher é vítima de violência doméstica. Nesta mesma pesquisa, o “ranking” de violências domésticas sofridas por mulheres é liderado pela violência emocional, seguida da física e sexual.

A violência no relacionamento é um ato, pontual ou contínuo, cometido por uma ou ambas as partes, com o objetivo de ter mais poder na relação e pode ser classificada em: física, sexual, moral, psicológica e econômica. Um relacionamento abusivo não causa somente marcas físicas, como também pode causar transtornos mentais, prejudicar o desempenho educacional e econômico, aumentar comportamentos de risco à saúde, como o abuso de
álcool e drogas, além de práticas sexuais não seguras. O sexo, feito em relacionamentos ou não, deve ser consensual e seguro para ambas as partes.

O estudo “Violência por parceiro íntimo: perfil dos atendimentos em serviços de urgência e emergência nas capitais dos estados brasileiros”, publicado na revista Cadernos de Saúde Pública da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), mostra que de 506 casos de violência por parceiro íntimo, 69,9% são vítimas do sexo feminino e 65% de 20 a 39 anos de idade. Em ambos os sexos, predominaram pessoas de cor da pele negra (70% no feminino e 82,8% no masculino). Nesta mesma pesquisa, as vítimas, que em sua maioria eram do sexo feminino, com ausência de atividade remunerada, eram agredidas dentro de suas residências, por força corporal/espancamento, por seus parceiros que haviam consumido bebida alcoólica.

Se você está passando por um relacionamento que te machuca, procure ajuda de seus amigos e familiares. Conte o que está acontecendo, ouça outras opiniões e compartilhe seus sentimentos. Você também pode obter informações de orientação sobre direitos e serviços públicos para a população feminina através do telefone 180. Além de funcionar, no Instituto Médico Legal (IML), no Centro da cidade do Rio de Janeiro, desde dezembro de 2015, a Sala Lilás. O espaço foi criado para prestar atendimento especializado e humanizado às mulheres vítimas de violência física e sexual. A ambientação mais acolhedora e aconchegante com mensagens escritas nas paredes, servem de apoio para as vítimas que estão em momentos de extrema fragilidade física e emocional. Procure saber.

Conheça os vídeos da Campanha 12 de Junho – Namore com Respeito na nossa página no Facebook.

COMENTÁRIOS, DÚVIDAS E SUGESTÕES