Aedes aegypti: cuidados especiais para gestantes

A prevenção de dengue, zika e chikungunya por meio da  eliminação de possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti já virou rotina para muitos cariocas, pois só assim é possível garantir que ele não se crie, pique pessoas e transmita doenças. No entanto, os cuidados não param por aí. Especialmente as gestantes devem redobrar a atenção, porque os vírus da zika e da chikungunya podem ser transmitidos da mãe para o feto, durante a gestação. E as consequências podem ser graves: danos ao sistema nervoso central, problemas cardíacos  e complicações na pele do bebê no caso da chikungunya, e microcefalia, no caso da zika.

A melhor forma de evitar tudo isso é se proteger da picada do inseto que transmite as doenças. Se você ainda está incorporando a rotina semanal de eliminação de criadouros do Aedes aegypti, baixe o aplicativo Aqui mosquito não se cria e tenha nas suas mãos uma ferramenta pra te ajudar nesse processo. Além de disponibilizar informações sobre as três arboviroses e seu vetor, o aplicativo  te ajuda a criar uma lista de tarefas personalizada, com os itens que você tem em casa, e te lembra toda semana, no dia e horário escolhidos, de eliminar focos do mosquito. Como o ovo do Aedes aegypti leva dez dias para se transformar em mosquito adulto, uma rotina semanal é o suficiente para proteger sua casa.

Proteção contra o mosquito e os vírus

Para não dar chance ao mosquito Aedes aegypti e aos vírus da zika e da chikungunya, as gestantes precisam se proteger diariamente, usando repelente sempre que sair de casa. Mas, atenção: nem todos os produtos disponíveis no mercado são eficazes contra o mosquito que transmite as arboviroses. Para ter este efeito, conforme recomendação do Ministério da Saúde, o repelente deve conter DEET, IR3535 ou Icaridin.

Outra medida simples e bastante eficaz é optar por calças e blusas de mangas compridas, que impeçam o contato do mosquito com a pele. Escolha tecidos leves, como o algodão, que suportam melhor o calor. Se for necessário, é possível aplicar o repelente diretamente sobre a roupa. Telas nas janelas também ajudarão a impedir que o mosquito já adulto entre em casa, em busca de alimentação.

Independentemente da situação ou do contexto, a regra é clara e continua valendo para as gestantes: camisinha sempre. Afinal, a gravidez não impede a transmissão de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), como a Aids, as hepatites e a zika. Pelo contrário, é um motivo a mais para se prevenir.

Atenção aos sintomas
Mesmo com todos esses cuidados, a gestante deve permanecer atenta aos sintomas de dengue, zika e chikungunya e procurar a sua equipe de saúde se algum deles se manifestar.

Sintomas da zika:
. Febre leve ou ausente
. Olhos vermelhos e aversão à luz
. Dores nas articulações (não muito intensas, em geral nas extremidades)
. Manchas vermelha na pele, com coceira intensa

Sintomas de chikungunya:
. Febre alta (39ºC a 40ºC) e súbita
. Inchaço e dores intensas nas articulações
. Manchas vermelhas na pele, com coceira intensa