Atenção, atenção: gripe na área

* Por Suely Kirzner – Pediatra da Secretaria Municipal de Saúde / Coordenação de Saúde na Escola.

As infecções respiratórias agudas são doenças que podem acometer  tanto as vias respiratórias superiores (nariz, garganta, ouvido, laringe) como as inferiores (pulmões). A maioria dessas doenças é causada por vírus, provocando resfriados, gripes, amigdalite, laringite. A gripe é uma doença respiratória muito contagiosa causada pelo vírus Influenza, com vários subtipos: A (H1N1, H3N2), B, C. A gripe é transmitida de pessoa para pessoa, principalmente por gotículas respiratórias, criadas por tosse ou espirro. Algumas pessoas como crianças, idosos e pessoas com certas condições de saúde, estão em alto risco de complicações graves da gripe.

Uma pessoa é capaz de passar a gripe para outra antes mesmo de saber que está doente, bem como quando já adoeceu. Embora as pessoas com gripe sejam mais contagiosas nos primeiros 3-4 dias após sua doença começar, algumas podem ser capaz de infectar outros um dia antes dos sintomas e até 5 a 7 dias depois de tornar-se doente. O período de maior risco de contágio é quando há sintomas, sobretudo febre. Algumas pessoas, especialmente crianças e pessoas com sistema imunológico debilitado, podem ser capazes de infectar outras pessoas com o vírus da gripe por um
tempo ainda mais longo. O tempo de quando uma pessoa é exposta ao vírus da gripe e infectada para o início dos sintomas é cerca de 1 a 4 dias, com uma média de cerca de 2 dias.

A cada ano, mais de um terço das crianças menores de seis anos podem ser infectadas com o vírus da influenza. Entretanto, algumas não apresentam sintomas.  Dados do Ministério da Saúde mostram que mais de 54 mil pessoas foram hospitalizadas com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em 2016, sendo 12 mil por influenza. No mesmo período, foram notificados 2.220 óbitos por influenza, sendo São Paulo o estado com o maior número de vítimas (851).

Sobre as crianças:

Sempre que as crianças estão juntas, há uma chance de propagação de infecções. Isto é mais frequente entre lactentes e crianças que são propensos a usar suas mãos para limpar seus narizes ou esfregar os olhos e então lidar com brinquedos ou tocar em outras crianças. O vírus vai a partir do nariz, boca ou os olhos de uma criança por meio de mãos ou brinquedos para a próxima criança que esfrega seus próprios olhos ou nariz. Os bebês não amamentados ao seio são mais propensos a pegar a gripe do que os bebês que são amamentados. O risco de complicações da gripe H1N1 é maior em crianças pequenas. As crianças com necessidades de cuidados especiais de saúde (por exemplo, asma, diabetes mellitus, doenças cardíacas, doenças imunológicas, neurológigas) possuem maior risco de complicações da influenza.

Por que crianças pequenas estão mais susceptíveis?

  • Aglomeração – maior contato entre as crianças com diferentes agentes infecciosos.
  • Imunológico – crianças com menos de dois anos estão com o sistema de imunidade em desenvolvimento.
  • Estado nutricional.

Os sinais e sintomas da gripe normalmente começam de repente, não gradualmente:

  • Febre ou sensação febril/calafrios, tosse, dor de garganta, nariz escorrendo ou entupido, dor muscular ou no corpo, dor de cabeça, cansaço, dificuldade para respirar. As crianças podem apresentar chiado no peito¨. * É importante observar que nem todos com gripe terão febre.
  • Vômitos, dor abdominal e diarreia são mais comuns em crianças pequenas do que em adultos.

Pode causar doença leve a grave, resultando em hospitalização ou até a morte, dependendo do grau de agressão do vírus e do estado do paciente. Sinusite, otite são exemplos de complicações moderadas de gripe, enquanto a pneumonia é uma complicação grave. Outras possíveis complicações graves provocadas pela gripe podem incluir inflamação do coração (miocardite), cérebro (encefalite) ou tecidos musculares e insuficiência de múltiplos órgão (por exemplo, respiratório e insuficiência renal).

Vacinação

A vacinação é considerada a intervenção mais importante na redução do impacto da influenza. A vacina contra a gripe tem o objetivo de proteger toda a população contra as formas
graves da infecção provocadas pelo vírus Influenza.  O MS disponibiliza a vacina contra a gripe nas unidades básica de saúde para crianças de seis meses a cinco anos incompletos (4 anos, 11 meses e 29 dias); pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; professores, povos indígenas; gestantes,  puérperas (até 45 dias após o parto); população privada de liberdade; funcionários do
sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais.  A proteção da vacina dura apenas um ano. É por isso que precisa de proteção atualizada a cada ano.

A prevenção da gripe H1N1 segue as mesmas regras da prevenção de qualquer tipo de gripe. A vacinação é uma estratégia de prevenção da gripe H1N1. Ela é capaz de promover  imunidade durante o período de maior circulação dos vírus influenza reduzindo o risco  de formas graves da doença. A melhor maneira de proteger as crianças de ficarem infectadas, é que todos os membros da família e todas as pessoas que rodeiam a criança (outras crianças, pais e professores ou cuidadores) possam ser imunizados. É especialmente importante para os  adultos que cuidam de crianças com menos de 6 meses, porque eles são muito jovens para tomar a vacina.

O que as escolas podem fazer para evitar a propagação da gripe: 

O contato em berçários, creches ou salas de aula facilita a transmissão dos vírus entre crianças vulneráveis.  Por essa razão, e principalmente em períodos frios, os cuidadores e professores devem
estar atentos e capacitados para observar se, na creche ou escola, há crianças com tosse, febre, congestão nasal, dor de garganta e informar aos pais quando apresentarem os  sintomas sugestivos da gripe.

Três passos para controlar a propagação de gripe são recomendados: Vacinação, controle de infecção e o afastamento quando necessária.

  • Manter os ambientes arejados.
  • Evitar manter contato muito próximo com uma pessoa esteja doente.
  • Enquanto a criança espera para ser apanhada, deve ficar em um local separado para minimizar o contato com aqueles que não tenham sido infectadas.
  • Não compartilhar utensílios de uso pessoal, como toalhas, copos, talheres e travesseiros.
  • Rotineiramente limpar e desinfetar áreas comumente utilizadas e as superfícies frequentemente manipuladas. O vírus da gripe pode permanecer nas superfícies por até 8 horas. Siga corretamente as instruções do produto utilizado durante a limpeza, quanto ao tempo de contato e diluição.
  • Evitar frequentar locais fechados ou com muitas pessoas.
  • Manter hábitos saudáveis, alimentar-se bem e beber bastante água.
  • Lavagem das mãos: É um dos itens mais importante na prevenção da gripe.
  • As crianças, seus cuidadores ou professores devem ser instruídos a lavar as mãos ao longo do dia, incluindo:
    o Quando eles chegam à escola ou em casa;
    o Antes e depois da manipulação de alimentos, ao alimentar uma criança, ou comer.
    o Após ir ao banheiro, mudar uma fralda, ou ajudar uma criança a usar o banheiro (na sequência de uma troca de fraldas, o cuidador deve lavar bem as mãos e a superfície de mudança de fralda ser higeinizada).
    o Depois de ajudar uma criança a limpar seu nariz, boca ou atendendo a um corte ou ferida.
    o Antes e depois de tocar na água que é usada por outras crianças
    o Antes e depois de dar remédio á uma criança
    o Após lidar com cestos de lixo ou lixo
    o Depois de lidar com um animal de estimação ou outro animal
  • Certifique-se de que a criança entende o que é boa higiene e a importância da lavagem das mãos após ir ao banheiro e antes e depois de comer.

Passos para lavar bem as suas mãos:

  • Molhe as mãos da criança.
  • Passe o sabão em barra ou sabonete líquido nas mãos. No caso de estar utilizando o sabão em barra, coloque em uma saboneteira onde pode drenar a água antes da próxima lavagem das mãos.
  • Esfregue bem as mãos em toda a superfície completamente.
  • Continue esfregando e esfregando durante 15 a 20 segundos para remover eficazmente os germes. Após seque-as.
  • Assista a criança enquanto ela está lavando as mãos, para certificar-se de que está correto.

 

COMENTÁRIOS, DÚVIDAS E SUGESTÕES