É possível parar de fumar

Quem fuma pode até achar que é bom: aquele cigarro depois do almoço, na hora do café ou na cerveja com os amigos. Há, até, quem acredite que ele é a melhor companhia. Mas, aqui entre nós: bom mesmo é parar de fumar. Sabe por quê?

Em 20 minutos sem fumar, a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal. Depois de duas horas sem cigarro, o sangue está livre de nicotina e, em 8 horas, o nível de oxigênio no sangue é normalizado. Passando a barreira do primeiro dia sem fumar, os efeitos são ainda mais perceptíveis: em dois dias olfato e paladar recuperam a sensibilidade; em três semanas a respiração e a circulação do sangue passam a fluir melhor; em cinco anos o risco de infarto é igual ao de quem nunca fumou.

Tudo isso pode ser muito encorajador, mas a decisão de parar de fumar é pessoal e intransferível. E pode ser difícil. Afinal, bastam algumas tragadas para que um curioso se torne dependente químico e psicológico do tabaco. Por isso, não são poucas as pessoas que têm recaídas quando estão tentando parar de fumar. É normal. O importante é não desistir.

Foi o caso de Rosana Morais de Rezende, 52 anos, há dois sem fumar. “Para mim, não era preciso um motivo específico para fumar: ficar com raiva ou triste; beber cerveja ou café. A vontade vinha a qualquer hora… Eu precisei tentar três vezes. Hoje estou há dois anos sem fumar. Na unidade de saúde tive todo apoio: orientação com nutricionista, medicação para a ansiedade, acompanhamento de todo o processo. Hoje estou mais tranquila, segurando firme a vontade de fumar. É muito melhor viver sem o cigarro”, conta.

Então, pode ter certeza: não é impossível. Além de Rosana, nos últimos anos, milhares de cariocas deixaram de fumar, com a ajuda do Programa Municipal de Controle do Tabagismo da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS-Rio). A iniciativa está presente em mais de 200 unidades de saúde da cidade e você será muito bem-vindo. Saiba onde ser atendido.