Gentileza gera gentileza e muito mais

“Gentiliza gera Gentileza”. Quem é carioca de verdade provavelmente já ouviu essa frase. Mas, será que todo mundo sabe quem a colocou no mundo?

Foi José Datrino, o Profeta Gentileza, um coroa de barba comprida e túnica branca que andava pelas ruas da cidade, enchendo um viaduto debaixo da Avenida Brasil com frases e imagens.

A frase é simples, mas, na prática, será que essa matemática funciona?

Digamos que… sim! A gentileza gera mesmo a gentileza. A boa convivência depende da nossa atenção com as pessoas, do respeito às diferentes opiniões, do cuidado na hora de falar, da capacidade de ter empatia, fazendo com o outro aquilo que gostaríamos que fizessem conosco. É esse conjunto de atitudes que torna os relacionamentos mais humanos e agradáveis e, consequentemente, nossa vida melhor.

É preciso ouvir mais do que falar, respeitar quem pensa diferente, pensar no outro e não só em si mesmo, respeitar diferentes credos, gostos e escolhas, preparar os ambientes para todas as pessoas. É preciso ter empatia, respeito e responsabilidade.

Atos de gentileza mudam os ambientes a convivência entre as pessoas. Mudar não é, assim, tão simples como uma conta de de 1+1, mas começar é o primeiro passo. Que tal já tentar hoje?

COMENTÁRIOS, DÚVIDAS E SUGESTÕES