Campanha “Comer pra quê?” coloca em debate hábitos alimentares

Comer pra quê? Para um ouvido desatento essa pergunta pode parecer um pouco óbvia, mas é só tentar sair um pouco do lugar comum para enxergar a multiplicidade de questões que o tema da alimentação pode levantar. Foi na busca de desconstruir verdades absolutas e compreender o que o jovem brasileiro pensa sobre alimentação que a campanha “Comer pra quê?”, a ser  lançada ainda esse ano em Brasília, foi idealizada.

comer-pra-que-2

A iniciativa é fruto de um trabalho de dois anos desenvolvido em Recife, Salvador, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Com uma metodologia própria, o projeto criou grupos de diálogos com jovens das quatro capitais para ouvir, sob os mais diversos aspectos, o que eles pensam sobre alimentação, hábitos saudáveis e segurança alimentar.

Como resultado, foram desenvolvidos materiais e estratégias educativas e de mobilização que visam criar um debate a respeito do tema. São mais de 30 vídeos, filmes de animação, spots de rádio e um site, que estarão disponíveis para todos que quiserem trabalhar o assunto em seus territórios.

A SMS-RJ e o “Comer pra quê?”

A campanha é uma iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS-RJ) é apoiadora da iniciativa e está desenvolvendo estratégias para publicizar a campanha e discutir o tema em escolas, unidades de saúde e outros espaços da cidade do Rio de Janeiro.

No WONCA 2016, Conferência Mundial dos Médicos de Família, que aconteceu no início de novembro no Riocentro, a Superintendência de Promoção da Saúde da SMS-RJ fez o pré-lançamento da campanha, com o intuito de apresentá-la para médicos de família do mundo inteiro e chamar a atenção para o tema da alimentação, tão importante para a saúde integral dos indivíduos.  

“Os materiais desenvolvidos não têm o intuito de dar respostas concretas, mas sim de problematizar o assunto junto à sociedade. O nosso objetivo é colocar a campanha na rua e discutir o tema da alimentação junto com o Programa Saúde na Escola e com os jovens de nossos outros projetos, como o RAP da Saúde. Queremos interagir com o jovem, que sempre foi um público desafiador para a área de saúde”, avalia Juliana Paulo e Silva, da Superintendência de Promoção da SMS-Rio.

COMENTÁRIOS, DÚVIDAS E SUGESTÕES