Dengue pra que te quero?

Não que a gente goste de falar de coisa ruim, mas às vezes é mesmo inevitável. O calor e as chuvas do verão chegaram e, ao mesmo tempo, aquela visita desagradável: o mosquito transmissor da Dengue. A doença foi identificada no Brasil pela primeira vez em 1986 e a estimativa é que hoje ocorram no mundo mais de 50 milhões de infecções por ano.

A principal forma de se pegar Dengue é pela picada do mosquito Aedes aegypti. Nessa forma de transmissão são necessários apenas três elementos principais: o vírus que causa a doença , o mosquito – a ele damos o nome de ‘vetor’ – e uma pessoa que nunca teve contato com o vírus. Com os três personagens a postos, a cena acontece assim: o Aedes pica uma pessoa infectada e, após o período de incubação, torna-se capaz de transmitir a doença. Assim, ele pica uma pessoa que nunca teve contato com o vírus e a torna, então, mais uma infectada. O ciclo é simples, rápido, e pode ser fatal.

Quatro é demais

Mostrando a que veio a Dengue chegou na forma de quatro vírus diferentes: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a existência de quatro tipos de vírus da Dengue é ainda mais preocupante, pois aumenta as chances de uma mesma pessoa ser infectada diversas vezes e agrava o quadro clínico do paciente a cada nova vez em que ele é infectado. Isso porque, o sistema imunológico de quem já foi infectado já está mais sensibilizado e os sintomas podem aparecer com mais gravidade, causando até inflamações e lesões nos vasos sanguíneos, culminando na Dengue grave.

Atento aos sinais

Percebeu que a Dengue não está de bobeira, né? Então, fique atento aos sinais. Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C), que começa subitamente e pode durar de 2 a 7 dias. A febre vem acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza e dor atrás dos olhos. Manchas vermelhas, coceiras, náuseas, vômitos, diarreia e perda de peso. A forma grave da doença nclui dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes e sangramento de mucosas. Se observar esses sintomas em você ou alguém que você conhece, não perca tempo, procure a unidade de saúde mais próxima de sua casa.

COMENTÁRIOS, DÚVIDAS E SUGESTÕES