Nada de Aedes Aegypti neste verão

No próximo dia 21 de dezembro começa a estação mais desejada pelos cariocas. Momento em que a cidade fica mais colorida, mais divertida e as praias repletas de pessoas que estão em busca do bronze perfeito e umas horinhas de lazer com os amigos. Porém, é importante lembrar que as altas temperaturas fazem com que a incidência de chuva seja maior e este é o cenário perfeito para o aumento da proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika, as Arboviroses. Muito mais do que apenas se preocupar em qual a praia mais irada ou o melhor biquíni para usar, é o momento de eliminar possíveis focos no mosquito dentro de casa, nas ruas ou em locais abandonados e fazer a nossa parte no combate aos criadouros, antes mesmo do verão chegar.

A grande preocupação é que cerca de 80% dos criadouros do mosquito são encontrados nos ambientes domiciliares (dentro ou ao redor das residências).  Por isso, é importante adotar hábitos diários para impedir a proliferação do mosquito. Ações simples como evitar jogar lixo em locais inapropriados (onde os detritos possam acumular água), verificar se existe foco de água parada nos itens domésticos e evitar o uso de pratos ou vasinhos de plantas ou furar para não ter água concentrada, podem e devem ser adotadas. Os ovos dos mosquitos são invisíveis a olho nu, por isso, além de esvaziar os recipientes, é fundamental esfregá-los com escova ou esponja e usar sabão para lavar pratos de plantas e bebedouros de animais, principalmente as bordas, onde os ovos podem estar grudados.

A boa notícia é que os dados estão caindo

Segundo a Superintendência de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, foram notificadas até outubro deste ano, 2.992 pessoas com Dengue, contra 25.840, registradas em 2016 e 18.070 em 2015. Destes, 546 são casos de Zika, contra 31.963 em 2016, e 7.225 em 2015. E 1.416 casos em 2017, de Chikungunya, contra 14.203 no ano passado, e 39 em 2015.

Para que os dados continuem caindo é preciso que haja uma mobilização de toda a população. Se cada um fizer sua parte no combate ao criadouro do mosquito as incidências da doença irão continuar diminuindo. Bora nessa?

Com o objetivo de ajudar a eliminar os criadouros dentro de casa, com lembretes semanais e dicas importantes, a Prefeitura do Rio criou o aplicativo Aqui Mosquito Não Se Cria. Acesse o site e baixe no seu celular – http://prefeitura.rio/web/aquimosquitonaosecria.

COMENTÁRIOS, DÚVIDAS E SUGESTÕES