Nas férias escolares estimule seus filhos a brincar

Amarelinha, Pique-esconde, adedanha, Jogo do bafo, passa anel, queimada e telefone sem fio são algumas brincadeiras famosas na infância dos adultos, porém, desconhecidas pela geração atual, que só irá conhecer esses termos se eles virarem jogos de games ou vídeos do Youtube. O grande desafio dos pais de hoje, em especial durante as férias escolares, é fazer com que seus filhos deixem de lado o uso da tecnologia e gastem energia fazendo uma das coisas mais legais que existe: brincar.

Brincar não é apenas recreação. É uma forma de incentivar o desenvolvimento infantil, além de ajudar no processo de aprendizagem, facilitando a construção da autonomia, reflexão e criatividade. O ato de brincar pode ser compreendido como um processo dinâmico, em que a criança se comunica com ela mesma e com o mundo ao seu redor. Afinal de contas, quem nunca teve um amigo imaginário ou não fingiu ser um médico ou professora na infância? Brincar também ajuda a desenvolver a memória, a atenção, a imitação e a imaginação, bem como a personalidade, inteligência e afetividade dos pequenos.

Listando tudo isso, não dá para negar, né? Brincar é tudo de bom!  

Porém, a realidade é que as crianças estão trocando cada vez mais este hábito saudável por horas a frente das telas de celulares e tablets. Segundo a pesquisa TIC Kids, realizada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil e divulgada em outubro passado, 80% da população brasileira entre 9 e 17 anos navega pela rede. Desses, 31% acessam a internet somente pelo celular. Estes dados são preocupantes, principalmente porque o uso exagerado da tecnologia pode se tornar um problema de saúde pública. Além da dependência, há também casos em que o mau uso pode causar problemas físicos, desde desvio de coluna a hérnia de disco mesmo em crianças. Além da obesidade, pois as crianças acabam se exercitando cada vez menos.

O que fazer?

Diante deste cenário, você deve estar se perguntando o que fazer, já que o acesso a essas tecnologias estão acontecendo cada vez mais cedo e com mais frequência? É importante lembrar que as crianças repetem os mesmos atos e hábitos dos seus pais, por isso, se você vive conectado o tempo todo, que tal repensar seus hábitos e começar a incentivar seus filhos a adotarem práticas mais benéficas, que motive e estimule interações presenciais. Antes de comprar um tablete ou celular para os seus filhos, não seria legal pensar em comprar uma bola, bonecas ou um livro didático? Ou, quem sabe, fazer seus próprios brinquedos?

 

COMENTÁRIOS, DÚVIDAS E SUGESTÕES