Novo método de combate ao HIV chega ao Brasil

Desde que a epidemia da AIDS começou, em 1981, foram muitos os esforços mundiais para o combate do vírus da imunodeficiência humana (HIV) – atualmente 36,7 milhões de pessoas vivem com a endemia no mundo, que apresenta 1.8 milhões de novos casos por ano e causou a morte de um milhão de pessoas pela Aids em 2016. Diante destes dados, diversas medidas de prevenção e controle do vírus foram implantadas até hoje, dentre elas, a distribuição gratuita de preservativos masculinos e femininos, a administração da Profilaxia Pós-exposição (Pep) e a mais recente medida do enfrentamento ao vírus, a Profilaxia Pré-exposição, conhecida como PrEp – medicamentos antirretrovirais Tenofovir + Entricitabina (TDf/FTC), usado antes da exposição ao vírus e que age no bloqueio do ciclo da multiplicação do HIV, impedindo a infecção do organismo.

No Rio de Janeiro, estima-se que 59.334 pessoas vivem com vírus atualmente. Destes, 51.319 receberam o diagnóstico da doença e 43.473 fazem tratamento e acompanhamento nas unidades de saúde. Segundo a Gerente de HIV/Aids da Secretaria Municipal de Saúde, Luciane Oscar, a nova estratégia segue a diretriz da Departamento de IST/AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde publicado no documento: Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) de Risco à Infecção pelo HIV e será focada, inicialmente, na população de maior risco de contágio da doença, como forma de impactar na redução da epidemia e promover a equidade.

A PreP já vem sendo utilizada em diversos países do mundo como Estados Unidos, Canadá, França e Inglaterra e de acordo com o Ministério da Saúde chegará ainda em 2017 no  Brasil. Neste primeiro momento ela estará disponível em 22 cidades brasileiras, dentre elas a Cidade do Rio de Janeiro, Niterói e Duque de Caxias. “É importante ressaltar que as pessoas farão PrEp farão a retirada do medicamento na unidade de acompanhamento, que no caso do município do Rio de Janeiro será o Hospital Municipal Rocha Maia, em Botafogo”, que terá seu atendimento inaugurado a medida que o medicamento estiver disponível e o SICLOM (sistema de controle logístico de medicamentos) habilitado para dispensação, ressalta Luciane.

O método apresenta 90% de chance de proteção, quando tomado regularmente. É preciso frisar que o medicamento só tem esse efeito protetivo para quem não tem o vírus e que ele não protege contra outras ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis) e gravidez.

Diferença da PrEP para a PeP

Lembrando que a PrEP é diferente da Profilaxia Pós-exposição (PeP)- método de prevenção utilizado na pós exposição ao vírus e que deve ser administrada em até 72 horas após a relação sexual desprotegida ou acidente com algum objeto perfuro-cortante em que possa ter ocorrido algum contato com o vírus. A PeP, inclusive, já está disponível nas unidades de Atenção Básica de Saúde do município.

 

 

Mandala da Prevenção Combinada

A PrEp não deve ser usada de forma isolada, por isso, foi criada a Mandala da Prevenção Combina, ou seja, o conjunto de ações de diferentes abordagens de prevenção (biomédica, comportamental e estrutural) aplicadas em múltiplos níveis (individuais, nas parcerias/relacionamentos, comunitário e social) para responder à necessidade específica de determinados segmentos populacionais e de determinadas formas de transmissão do HIV.

Ressaltamos que o melhor método de prevenção contra o HIV é aquele que o indivíduo escolher e que atenda suas necessidades sexuais e de proteção. É importante lembrar que nenhuma ação de prevenção isolada é suficiente para reduzir novas infecções.

Os métodos usados dentro desta linha de prevenção são:

-Preservativos masculinos e femininos;

-Testagem regular para HIV;

-Diagnóstico e tratamento das IST;

-Testagem no pré-natal, usado para a prevenção vertical, a fim de evitar que a mãe transmita o vírus para o bebê;

-Adesão ao tratamento antirretroviral;

-Profilaxia Pós-exposição (PeP);

-Profilaxia Pré-exposição (PrEP);

Como iniciar o tratamento de PrEp no Rio de Janeiro

Quando estiver disponível e divulgado para a rede, as pessoas elegíveis para o tratamento da PrEp no Rio de Janeiro serão encaminhadas pelas unidades de saúde para o Hospital Municipal Rocha Maia, em Botafogo, onde serão avaliados pela equipe e mediante a indicação iniciarão a profilaxia pré-exposição.

COMENTÁRIOS, DÚVIDAS E SUGESTÕES