Podemos vencer a tuberculose

“Todos nós conhecemos alguém que pode vencer a tuberculose”. Este foi o mote do Dia Mundial de Mobilização pelo Fim da Tuberculose, 24 de março, no Rio de Janeiro. A Praça Mauá foi o espaço escolhido para promover saúde e informar a população sobre a doença, que apesar de ter cura e tratamento gratuito disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) ainda representa a maior causa de morte entre agravos infecciosos no mundo.

Para chamar a atenção de todos que passavam pela Praça Mauá, os profissionais de saúde cantaram o Funk da Tuberculose.  Professores da Academia Carioca realizaram atividades lúdicas e educativas sobre os sinais e sintomas da doença, para que a população fique atenta e possa reconhecê-la. O RAP da Saúde, é claro, marcou presença com um recado bem simples: quanto antes a tuberculose for identificada, maiores são as chances de cura.

O principal sintoma da doença é a tosse persistente por três semanas ou mais. Também podem ocorrer febre vespertina, sudorese noturna, emagrecimento e cansaço. E o primeiro passo para garantir o sucesso do tratamento é o diagnóstico precoce. Por isso, a rede municipal de saúde do Rio de Janeiro já conta com um teste rápido, capaz de identificar a doença em até duas horas. Uma vez diagnosticado, o paciente é encaminhado para tratamento em uma Unidade Básica de Saúde.

Tuberculose tem cura!

Para enfrentar a tuberculose é preciso ter paciência: a recuperação é longa, dura no mínimo seis meses e requer a criação de vínculos entre o paciente e a equipe de saúde. No SUS, esta estratégia recebe o nome de Tratamento Diretamente Observado (TOD), em que a ingestão diária de medicamentos pelo paciente é acompanhada de perto por um profissional de saúde. Tudo para garantir a continuidade e o sucesso do esquema terapêutico adotado. Interrupções e irregularidades podem comprometer a recuperação da saúde e levar o paciente a desenvolver resistência aos medicamentos. Todo esforço vale a pena, pois a tuberculose tem cura e, após o tratamento, a pessoa está livre para curtir a vida.

Transmissão da doença

A tuberculose pulmonar é transmitida por via aérea, quando uma pessoa infectada lança partículas do bacilo Mycobacterium tuberculosis, causador da doença, no ar. Isso acontece principalmente ao tossir e, também, ao espirrar ou falar. Por isso, quando uma pessoa é diagnosticada com a doença é importante que a família e todos que convivem com ela também façam o exame. A boa notícia é que a transmissão é interrompida em 15 dias após o início do tratamento – mais um motivo para iniciá-lo imediatamente.