RAP da saúde promove encontro para discutir prevenção ao suicídio

Acolhimento, escuta e atenção foram os principais pontos abordados no Encontrão promovido pela RAP da Saúde. O evento, que aconteceu no último dia 22/08, foi criado para discutir abordagens sobre prevenção ao suicídio e Setembro Amarelo e contou com a presença de mais 150 jovens integrantes do RAP da saúde e da Superintendência de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde, do Rio de Janeiro.

O encontro serviu como grande troca de experiências: os jovens relataram suas vivências dentro das unidades de saúde e ainda receberam  capacitação para abordarem o tema com os demais jovens, tanto nos espaços de saúde quanto nos espaços escolares. Foi reforçado também que a melhor forma de receber e abordar o tema é ouvir – ouvir sem julgar. Suicídio não é um diagnóstico, identifica-se que há um grau de sofrimento psíquico na vida das pessoas que os impossibilita de procurar ajuda. Escutar é cuidar.

Para Laura Sarmento, assessora da Superintendência de Saúde Mental, o RAP pode ser um grande aliado na prevenção ao suicídio: “é um dispositivo muito inovador da SMS que dá voz aos jovens, informando as melhores maneiras de abordagem, de forma que eles também possam fazer ações de jovem para jovem. É inovador e uma potência também para acessar os adolescentes. Os adolescentes não procuram ajuda sem uma mediação. É muito estratégico para atenção primária para que haja essa resolutividade e acesso a essa população”. E reforça que a conscientização contra o suicídio é uma questão de saúde pública.

Para quem não conhece, a Rede de Adolescentes e Jovens Promotores da Saúde (RAP), é um curso desenvolvido pela Secretaria Municipal de Saúde da Cidade do Rio de Janeiro que visa formar jovens que atuem como promotores da saúde fortalecendo o protagonismo juvenil, que é uma prática educativa em que o jovem é o elemento central e participa de todas as fases do processo educativo, desde a elaboração, execução e avaliação das ações propostas, com o objetivo de estimular a participação social do jovem na comunidade.

A campanha Setembro Amarelo, que acontece desde 2015, consiste na conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo direto de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo. Ocorre por meio de identificação de locais públicos e particulares com a cor amarela e ampla divulgação de informações.

Se você está passando por algum sofrimento psíquico, é importante pedir ajuda. Fale com alguém próximo, conte para as pessoas o que passa pela sua cabeça. Ter alguém para conversar faz toda a diferença. Se você não sente que pode contar a alguém ou não tem ninguém próximo com quem conversar, não hesite em ligar para o 141 ou 188 e pedir ajuda a um dos voluntários do Centro de Valorização da Vida. Eles estão lá para você!

CONTATOS ÚTEIS

Serviços de saúde

CAPS, Ambulatórios de Saúde Mental e Unidades Básicas de Saúde (Saúde da família, Postos e Centros de Saúde).

Emergência

Emergência SAMU 192, UPA, Pronto Socorro e Hospitais.

Centro de Valorização da Vida – CVV

O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email, chat e voip 24 horas todos os dias.

A ligação para o CVV em parceria SUS e CVV através do número 188 são gratuitas a partir de qualquer linha telefônica fixa ou celular, provenientes de qualquer cidade do estado contemplado.

141 (ligação paga) ou www.cvv.org.br para chat, Skype, e-mail e mais informações sobre ligação gratuita.

COMENTÁRIOS, DÚVIDAS E SUGESTÕES