O envolvimento da comunidade, do Estado e da rede social de apoio é fundamental para garantir a saúde de toda uma família, contemplando os direitos de cada membro, com suas necessidades e peculiaridades.

Cuidar de uma pessoa em cada fase da vida é cuidar da sociedade. Por isso, o acolhimento, o olhar integral e a prevenção devem estar presentes nas políticas públicas de saúde desde o parto até a velhice.

Parto e Nascimento

Pela rede de saúde suplementar, 84% dos partos são cesarianas, caindo para 40% na rede pública, número que segue alto, uma vez que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é 15%. Para a melhoria desse índice, o Ministério da Saúde incentiva o parto normal, oferecendo por meio do SUS acompanhamento durante a gestação, parto e pós-parto. É responsabilidade do poder público e da sociedade cuidar do parto e do nascimento, garantindo um bom começo, que se estenda por toda a vida.

Primeira infância

É chamada de Primeira Infância o período que contempla a gestação, o parto e os primeiros seis anos de vida de uma pessoa. Nessa etapa, a criança passa pelos mais importantes processos de desenvolvimento, como crescimento físico, amadurecimento do cérebro, aquisição dos movimentos, aprendizado e iniciação social e afetiva. Criar um ambiente acolhedor, possibilitar diferentes experiências, estimular a liberdade e garantir direitos é contribuir com o crescimento saudável de uma criança, de um futuro adulto e, consequentemente, de toda a sociedade.

Juventude

Hoje, os adolescentes e jovens representam 37% da população brasileira. Dados mostram que as vulnerabilidades em relação à saúde são agravadas quando consideradas as desigualdades de raça/cor, gênero, orientação sexual, econômicas e sociais. Tal impacto é visto, principalmente, na saúde sexual e saúde reprodutiva, gravidez na adolescência, doenças sexualmente transmissíveis, saúde mental, uso abusivo de álcool e outras drogas, violências e acidentes. Para cuidar desse público, que representa o futuro do país, é preciso estar atento às especificidades, ter o olhar integral para esse indivíduo e, principalmente, ouvir suas demandas e dialogar.

Saúde da Mulher

As mulheres são as maiores frequentadoras do SUS, seja como usuárias ou como acompanhantes de filhos, parceiros, familiares e vizinhos. Ao mesmo tempo, a vulnerabilidade dessa população frente a certas doenças e causas de morte está mais relacionada com a discriminação na sociedade do que, propriamente, com fatores biológicos. Por isso, a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher, do Ministério da Saúde, busca implementar ações de saúde que contribuam para a garantia dos direitos humanos das mulheres e reduzam a morbimortalidade por causas preveníveis e evitáveis, incentivando que as mulheres brasileiras avancem nas suas conquistas na perspectiva da saúde como direito de cidadania.

Saúde do Homem

A cada três mortes de pessoas adultas, duas são de homens. Quando comparado com as mulheres, o tempo de vida deles é 7,6 anos menos. Estudos comprovam que homens são mais vulneráveis às doenças, especialmente as graves e crônicas. Essa ocorrência está ligada ao fato de que eles recorrem menos aos serviços de atenção primária, procurando o sistema de saúde apenas quando já se encontram em quadros graves. A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem tem o objetivo principal de conscientizar esse público sobre a importância da prevenção à saúde, bem como mudanças comportamentais e de hábitos, para uma vida melhor sua e de toda a família.

Saúde do Idoso

As melhorias no acesso à saúde e o prolongamento da expectativa de vida trazem novos desafios para as políticas públicas da saúde dos idosos. No Brasil, conforme dados do IBGE de 2014, 13,7% da população é idosa, o que corresponde a cerca de 28 milhões de pessoas. Entendendo as mudanças que essa nova realidade traz, o Ministério da Saúde propõe a criação de ações voltadas para a manutenção da capacidade funcional das pessoas idosas, centradas na produção da autonomia e da não dependência, promovendo um envelhecimento com mais saúde e qualidade de vida.