Vamos falar sobre depressão?

Sexta-feira passada, dia 7 de abril, foi Dia Mundial da Saúde e este ano a Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu como tema a depressão, transtorno mental que afeta pessoas em todo o mundo.

A vida vivida não é simples. Culpa, medo, angústia e ansiedade são sentimentos que podem fazer parte do dia a dia de muita gente, independente de gênero, idade, nacionalidade ou classe social. A questão vira um problema maior quando essas sensações se dilatam – tanto no tempo quanto na intensidade – impedindo que uma pessoa consiga seguir em frente.

Diferentemente das flutuações naturais de humor ou das emoções ocasionadas a partir de uma adversidade, a depressão é uma doença e deve ser encarada como tal. Nem a negligência nem a hipermedicalização são os caminhos recomendados. É preciso, antes de tudo, desconstruir preconceitos e falar sobre o assunto, para que se busque o serviço de saúde e inicie o tratamento, caso seja necessário.

Atenção aos sinais  

São sintomas da depressão: desânimo, falta de esperança, desinteresse geral, dificuldade para dormir, acordar durante a noite e não conseguir mais dormir, problemas para acordar, falta de energia, agitação excessiva, falta de concentração, descuidos com a higiene pessoal, abuso de álcool e outras drogas, pensamentos suicidas.

A ocorrência de uma dessas manifestações não define o estado depressivo, mas a associação entre elas e, sobretudo, a sua persistência podem definir. Por isso, fique atento e consulte um profissional de saúde.

A vida vale a pena

Somos seres singulares, com diferentes histórias de vida, desejos, traumas e frustrações. Todos estão vulneráveis ao sofrimento e à dor, mas nem sempre é fácil enxergar a tristeza como algo passageiro ou uma experiência necessária. Se está difícil ver dessa maneira, você pode buscar ajuda em uma Unidade Básica de Saúde.

É papel do profissional da Atenção Primária olhar para cada pessoa de forma a entender as suas especificidades e orientar sobre as melhores intervenções psicossociais ou tratamentos medicamentosos.

Cuide de si, a vida vale a pena.