Ter uma vida saudável é mais do que ter um corpo saudável. Uma vida saudável inclui também aspectos relacionados ao modo como vivemos, nossos hábitos e nossas práticas. O sedentarismo e a má alimentação, o consumo de álcool, tabaco e outras drogas, o stress e a correria da vida cotidiana são exemplos de condicionantes diretamente relacionadas à produção de grande parte das doenças modernas.
Se desejamos ter uma vida saudável, devemos nos observar e, diante de nossas realidades, fazer escolhas melhores para nossa saúde. Em que áreas podemos começar já?

Atividade física
Para se ter saúde, é preciso ter uma vida ativa. A prática de atividade física regular melhora a saúde, previne doenças e as consequências em relação a elas.
Mas, ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, a atividade física não precisa ser penosa, nem complexa. Pelo contrário, o Ministério da Saúde considera e estimula o aproveitamento das oportunidades do dia a dia para a atividade física. Saltar do ônibus antes do ponto, descer ou subir um lance de escada, fazer as atividades domésticas e dançar em casa podem ser exemplos simples de atividades que ajudam na saúde, não só do corpo, como da mente e da alma.

Alimentação saudável
Uma alimentação saudável deve ser inserida no cotidiano das pessoas como um momento agradável e de socialização. A alimentação deve considerar o equilíbrio dos nutrientes, mas, também, e principalmente, assumir a significação social e cultural dos alimentos como fundamento básico.
O Guia Alimentar para a População Brasileira, do Ministério da Saúde, serve para estimular a adoção de práticas alimentares saudáveis a fim de promover a saúde da população e contribuir para a prevenção de doenças. O Guia propõe um sistema alimentar socialmente e ambientalmente sustentável, faz recomendações sobre escolha, preparo e consumo dos alimentos e estimula, acima de tudo, a autonomia nas decisões alimentares, visando à promoção da saúde e à segurança alimentar e nutricional.

Moderação de álcool
O uso de bebidas alcoólicas no Brasil é permitido para pessoas maiores de 18 anos. Apesar de ser legal em termos de lei e um hábito comum de nossa população, o elevado consumo de bebidas é um problema de saúde pública de grande impacto social. O consumo é responsável por problemas desde saúde, como doenças do fígado, câncer, transtornos mentais e outros, até mortes e lesões no trânsito e outros tipos de violência.
Beber faz parte do nosso cotidiano, mas é preciso beber com consciência e responsabilidade. Você já refletiu sobre o seu consumo? Como pode moderar?

Rio Sem Fumo
O tabaco é responsável por cerca de seis milhões de mortes em todo o mundo. No Brasil, estima-se que o tabagismo seja responsável por 200 mil óbitos ao ano. No entanto, essa droga foi naturalizada e muitas pessoas ainda sofrem as consequências de seu uso, por conta do vício.
Ações de prevenção e de controle do tabagismo incluem medidas educativas, preventivas e regulatórias, é o caso da lei estadual Rio sem Fumo, que visa resguardar a sociedade dos malefícios do fumo passivo, terceira maior causa de morte no mundo.
Deixar de fumar não é fácil, mas você tem muitos motivos para pensar em parar: você e todas as pessoas que convivem com você.